Este é um blog pessoal, onde colocarei textos escritos por mim em momentos de alegria e de angustia e textos que chegam em minhas mãos através de e-mails de amigos e que de alguma forma tocam meu eu interior.

13 de dezembro de 2014

Asas da Liberdade

Tenho asas para voar e não as uso, minha liberdade é ilimitada e a limito. Sei que minha liberdade vai até onde começa a do outro, então porque acabo invadindo sem respeitar o espaço do outro.
Porque não deixo minha liberdade voar alçar voo com ela?
Podo as asas dela com preconceitos e hábitos arraigados dentro de mim há tanto tempo, que não sobra espaço nem para uma pequena tentativa de voo.
O medo se instala dentro de mim porque ao querer voar externamente, invado espaços, desrespeito, critico, torno-me egoísta, vou me frustrando e cada vez mais diminuindo meu espaço interno, deixando de sonhar, de voar. Porém um dia um raio de luz consegue penetrar  e começa a abrir espaço, começa a retirar as tralhas aí entulhadas, algumas vezes as caixas caem fazendo sombra para o raio de luz, mas a abertura já está feita, a fresta é estreita, a liberdade começa a ter novamente gosto pelo voo e sonha em como retirar todas as caixas e baús aí guardados e poder voar livremente fazendo de seu espaço interior um espaço infinito unindo-se a liberdade exterior sem medos, sem criticas, sem preconceitos, sem velhos hábitos, com a autoestima equilibrada, sabendo seu valor e aonde ir, não permitindo ser esmagada de novo.
Uma liberdade sem inveja, com meu espaço brilhando tanto como o do outro, que saiba respeitar e se fazer respeitar, que não tema, mas também não imponha, seja livre, mas não sufoque o outro, que fale e saiba ouvir, ame e deixe-se amar por inteiro, não só mostrando o seu melhor e o seu pior, que cante quando tem vontade, mas não ensurdeça os outros que estão ao seu redor, dance se tem vontade, porém que não atropele a tudo e a todos, saiba silenciar ouvindo seu interior.
Deixe-se amar não perdendo sua liberdade e não podando a do outro.
Simplesmente ser feliz e livre, respeitar a felicidade alheia e se alegrar com ela.
Um sorriso por ver o outro feliz lava a alma e deixa muitos raios de luz penetrarem na nossa.
Felicidade é simplesmente viver com a alegria das pequenas coisas.
Liberdade é saber o momento certo de voar e o de pousar recolhendo-se ao seu interior com a satisfação do voo realizado.